Salinas da Margarida na área de uma Unidade de Conservação

Para conter a devastação acelerada e controlar os seus impactos na natureza, o Governo da Bahia vem criando novas Unidades de Conservação, que são protegidas pela Lei 9.985/2000 e onde se busca preservar a diversidade biológica, além de disciplinar o processo de ocupação e assegurar a sustentabilidade do uso dos recursos naturais. Atualmente, existem 32 Unidades de Conservação na Bahia, locais que revelam diferentes ecossistemas, histórias e culturas dos seus habitantes.
Baía de Todos-os-Santos

Localiza-se na maior baía do Brasil. Sua área é estimada em 800 km² envolvendo as águas e o conjunto de ilhas da Baía de Todos os Santos, sendo suas 54 ilhas pertencentes aos municípios de Salvador, Madre de Deus, Candeias, Simões Filho, São Francisco do Conde, Santo Amaro, Cachoeira, Saubara, Itaparica, Vera Cruz, Jaguaripe, Maragogipe e Salinas da Margarida. Região de grande beleza cênica e ecossistemas ricos em biodiversidade, apresentando extensas áreas de manguezais ainda bem conservados, principalmente na região da contra-costa da Ilha de Itaparica, na Baía de Iguape, em Salinas da Margarida e Jaguaripe; remanescentes de Florestas Ombrófila (Mata Atlântica) em ilhas como Itaparica, Frades, Maré, Matarandiba, Fontes, Bimbarras e Monte Cristo; e recifes de corais na costa das ilhas de Itaparica, dos Frades, Maré e na Laje da Ipeba. Há ocorrência de sítios arqueológicos, com vestígios relativos a populações pré-coloniais, coloniais e pós-coloniais. Ocorrem também diversas manifestações culturais de cunho religioso, como por exemplo, as procissões de Bom Jesus dos Navegantes, de Nossa Senhora das Neves, de Bom Jesus do Amparo e do Sr. de Vera Cruz.

Comentários