Recôncavo terá centro de pesquisas em aquicultura

digasalinas.com

Unir assistência técnica, pesquisa e ensino, visando o melhoramento genético de alevinos e a criação de novas alternativas produtivas. Este é o principal objetivo do Centro de Excelência para Pesquisas Aplicadas em Aquicultura, que será implantado no estado pela Bahia Pesca, empresa vinculada à Secretaria da Agricultura (Seagri), em parceria com a Universidade Federal do Recôncavo Baiano (UFRB) até o final deste ano.

A unidade terá como base operacional a Estação de Piscicultura da Barragem de Pedra do Cavalo, pertencente à Bahia Pesca,e vai beneficiar milhares de famílias em todo o território baiano. A implantação do centro também possibilitará a formação de mão-de-obra local, qualificação de estágios para os cursos de biologia e engenharia de pesca na região e o mapeamento de novas áreas de cultivo.

“Quando pesquisa aplicada se une à assistência técnica, criamos o ambiente ideal para desenvolver não só o segmento da pesca e aquicultura, mas também todo um espaço acadêmico e regional, gerando impactos positivos para a sociedade”, disse o reitor da UFRB Paulo Gabriel Nacif.

Na Estação de Piscicultura de Pedra do Cavalo a Bahia Pesca produz, atualmente, cerca de dois milhões de alevinos por ano. “O Governo do Estado, por meio da Casa Civil, já sinalizou a possibilidade de recuperar todas as unidades de produção da empresa, impulsionando a atividade em todos os territórios de identidade da Bahia”, acrescenta o presidente da Bahia Pesca, Cássio Peixoto.

Segundo ele, a estação deverá receber um aporte de R$ 400 mil e, com isso, aumentar sua produção anual para seis milhões de alevinos. Outro benefício para a região será a criação de uma nova matriz produtiva para cultivo de camarão de água doce em escala comercial.

“Essa espécie, produzida na Bahia ainda de forma extrativista, tem origem na Malásia, mas encontra no Recôncavo baiano todas as condições ambientais para o cultivo, inclusive em regime consorciado com a tilápia”, esclarece o sub-gerente de Piscicultura da Bahia Pesca, Antonio Laborda. Ele destaca as vantagens competitivas do camarão de água doce, como a aceitação de mercado, o potencial para exportação, o sabor e o preço de venda do produto. “E com a criação do Centro de Excelência em Aquicultura a expectativa da Bahia Pesca é promover o repovoamento da Bacia do Paraguaçu com a doação de pós-larvas de camarão”, finaliza.

Fonte: Secom/Ba

Comentários