Pescadores e Marisqueiras de Salinas da Margarida querem indenização do Consórcio Enseada do Paraguaçu

Com galhos de árvores e madeira queimando, cerca de 200 manifestantes interditaram a estrada Salinas – Conceição, nesta manhã, sendo observados à distância pela Polícia Militar (Pelotão da Caatinga) e soldados do Pelotão local. O tráfego estava interrompido apenas para os carros das obras do Estaleiro e liberado para os moradores que podiam passar livremente
Os pescadores e marisqueiras de Salinas da Margarida que fizeram esta manifestação nas imediações do “Manguinho” estavam reivindicando a liberação de uma verba indenizatória prometida pela empresa  Terrabrás e o Consórcio Enseada do Paraguaçu, que são responsáveis pela construção do EEP – Estaleiro Enseada do Paraguaçu, com sede no distrito de São Roque pertencente a Maragogipe e que também afeta Salinas da Margarida.
Segundo Indian Brito Ribeiro, as Colônias de Pescadores e a APASMA (Associação de Pescadores e Marisqueiras de Salinas da Margarida) fizeram uma lista de 2500 pessoas e até agora só foram contempladas 500. os manifestantes alegam que estão precisando dessa verba já que ficarão impossibilitados de pescar e mariscar durante o período em que as dragas estiverem escavando o fundo da enseada para dar andamento à construção do estaleiro.
De acordo com o Sr. Noé, os pescadores da região já sofreram muito com a Maré Vermelha, fato que aconteceu em 2007, e agora estão necessitando de uma resposta do “Consórcio” para não saírem ainda mais prejudicados. Os manifestantes esperam que os representantes do EEP respondam às suas reivindicações de estender a indenização para mais pescadores, já que isso afeta a todos.

Comentários