Impacto social do Estaleiro em Salinas da Margarida

salinas da margaridaDe acordo com artigo publicado no blog do EEP, com a construção do Estaleiro Enseada do Paraguaçu (EEP), “foram gerados, apenas pelo Consórcio responsável por construir o Estaleiro, cerca de mil empregos para os moradores de Salinas da Margarida e região. Apostas em capacitação da mão de obra vêm sendo feitas através do programa Acreditar e de parcerias com o Sebrae e o Promimp com o objetivo de aumentar ainda mais esse número e qualificar os futuros profissionais que poderão ser contratados para a fase de operação do empreendimento, prevista para março de 2015.”

Nesta manifestação através do seu blog o artigo vem em contraposição a uma reportagem que circulou esta semana num site da capital, a qual diz que “apesar das boas expectativas que a construção do EEP traz para municípios como Salinas da Margarida, os moradores ainda não sentem o impacto positivo da indústria naval. “

O EEP afirma que, “com o Governo do Estado da Bahia, elaborou planos diretores para os municípios localizados em sua área de influência direta. As cidades localizadas no entorno do empreendimento vem sendo beneficiadas com investimentos nos sistemas viário, de saúde, educação, saneamento e no gerenciamento de resíduos.”

“Nesse contexto, uma série de ações vem sendo realizadas em Salinas da Margarida. Como exemplo, a recuperação do Píer de Barra do Paraguaçu, cujo investimento foi de R$ 200 mil, e o apoio ao Festival de Marisco que ocorrerá no final de dezembro. É possível destacar também o 1º Encontro de Cultura e Arte entre Amigos da Capoarte e a mobilização da comunidade para formação de brigadistas civis, com previsão para acontecer em janeiro de 2014. No Dia das Crianças, Salinas recebeu a atividade de saúde “Tudo por um Sorriso”, que contemplou atendimentos de glicemia, de aferição arterial, de fisioterapia e odontológicos, com aplicação de flúor e doação de kit de escovação.

A cidade também é contemplada no Programa de Educação Ambiental para a Comunidade (PEAC), com estímulo à reciclagem e à preservação do patrimônio. Ainda como parte da política de Sustentabilidade, o EEP descarta os resíduos gerados na obra, em um aterro em Santo Antônio de Jesus, com empresa ambiental especializada e licenciada.”

Fonte: Navegando Juntos

Comentários