Homenagem aos Grandes Mestres da Capoeira

Em 1932, um período em que a perseguição à capoeira já não era tão acentuada, mestre Bimba, exímio lutador no ringue e em lutas de rua ilegais, fundou em Salvador a primeira academia de capoeira da história. Bimba, ao analisar o modo como diversos capoeiristas utilizavam suas habilidades para impressionar turistas, acreditava que a capoeira estaria perdendo sua eficiência como arte marcial. Dessa forma, Bimba, com auxílio de seu aluno José Cisnando Lima, enxugou a capoeira, tornando-a mais eficiente para o combate e inseriu alguns movimentos de outras artes marciais, como o batuque. Mestre Bimba também desenvolveu um dos primeiros métodos de treinamento sistemático para a capoeira. Como a palavra capoeira ainda era proibida pelo código Penal, Bimba chamou seu novo estilo de Luta Regional Baiana.

Em 1937, Bimba fundou o centro de Cultura Física e Luta Regional, com alvará da secretaria da Educação, Saúde e Assistência de Salvador. Seu trabalho obteve aceitação social, passando a ensinar para as elites econômicas, políticas, militares e universitárias. Finalmente, em 1940, a capoeira saiu do código Penal brasileiro e deixou definitivamente a ilegalidade. Começou, então, um longo processo de desmarginalização da capoeira.

Em pouco tempo a notoriedade da capoeira de Bimba demonstrou ser um incômodo aos capoeiristas tradicionais, que perdiam espaço e continuavam a ser malvistos. Esta situação desigual começou a mudar com a inauguração do Centro Esportivo de Capoeira Angola, em 1941, por mestre Pastinha. Localizado no Pelourinho, em Salvador, o centro atraía diversos capoeiristas que preferiam manter a capoeira em sua forma mais original possível. Em breve, a notoriedade do centro cunhou em definitivo o termo “capoeira angola” como nome do estilo tradicional de capoeira. O termo não era novo, sendo, já na época do império, a prática da capoeira apelidada, em alguns locais, de “brincar de angola” e diversos outros mestres que não seguiam a linha de Pastinha acabaram adotando-o.

 
“A Capoeira em Salinas da Margarida está crescendo a cada dia. A  Associação de Capoeira Engenho  vem trazendo para a comunidade, principalmente para os jovens e crianças, a oprtunidade de ter acesso a uma capoeira esporte-educativa com o objetivo de contribuir para a educação e a formação de cidadãos.

As aulas ministradas pelo monitor Paulo e monitor Araquém, com a supervisão do professor Sabará e o Mestre grandão trás a esperança de um esporte cultural e sadio para os filhos de mariscadeiras e pescadores.


A organização fica e cargo do aluno Profeta que se esforça para ampliar cada vez mais o grupo no município e difundir a Cultura Áfro com sua beleza e riqueza.”  [ver perfil no Orkut]



Comentários