Estaleiro Enseada do Paraguaçu inicia atividades em 2014

naval-quali

Em 2010, os grupos Odebrecht, OAS e UTC se uniram para a criação do Estaleiro Enseada do Paraguaçu (EEP) voltado para construção e integração de unidades offshore, como plataformas, navios especializados e unidades de perfuração. O Estaleiro, que começou a ser construído em 2011 e deve iniciar suas operações em 2014, ficará localizado na Foz do Rio Paraguaçu, no município de Maragojipe, a 23 milhas náuticas de Salvador (BA). Ocupará uma área de cerca de 1,6 milhão de metros quadrados, dos quais 400 mil serão destinados à preservação ambiental.

Antes mesmo da finalização de suas obras, o EEP já é considerado um dos maiores do setor no país. Quando estiver operando a plena capacidade, o Estaleiro poderá processar até 36 mil toneladas de aço por ano, construindo navios de altíssima especialização, como sondas de perfuração e FPSOs, que poderão ser fabricados simultaneamente. A expectativa é de que sejam gerados três mil empregos diretos durante a construção do EEP e cinco mil em sua operação.

Com os investimentos previstos para a indústria naval e portuária da Bahia, surgem também grandes oportunidades de emprego no estado. Somente a construção do Estaleiro Enseada do Paraguaçu vai empregar quatro mil trabalhadores e mais 3,8 mil vão atuar durante a sua operação. Serão criadas vagas para nível técnico e superior.
Para acompanhar o ritmo dos empreendimentos e atender às suas necessidades, a Secretaria Extraordinária da Indústria Naval e Portuária (Seinp) tem apoiado diversas ações no sentido de qualificar e capacitar a mão de obra baiana. O secretário Roberto Benjamin explica que a Seinp tem se articulado com as entidades de ensino, secretarias e órgãos públicos e empresas privadas com o objetivo de incentivar a qualificação dos trabalhadores baianos.
Entre as iniciativas para a qualificação de trabalhadores está o curso de pós-graduação em Engenharia Naval, ministrado pela Politécnica da Universidade Federal da Bahia (Ufba). O curso desenvolvido pela instituição de ensino conta com a parceria do Programa de Mobilização da Indústria Nacional de Petróleo e Gás Natural (Prominp) que está disponibilizando bolsa integral para os alunos.
O coordenador da especialização em Engenharia Naval da Ufba, Ademar Nogueira, afirma que a seleção dos interessados é feita pelo Prominp por meio de concurso público. Nogueira disse, ainda, que a universidade está atendendo a uma demanda do mercado, devido aos projetos que estão se instalando no estado.
A qualificação de profissionais não se restringe apenas aos cursos universitários, passa também pela área técnica. Com este objetivo, o Senai e a Belov Engenharia estão em parceria para criar um curso de mergulhadores profissionais com especialidade em águas rasas, de até 50 metros de profundidade.
De acordo com o diretor do setor de Obras de Serviços Subaquáticas da Belov Engenharia, Juracy Gesteira Vila-Bôas, o Senai vai disponibilizar os professores e a pedagogia de ensino, enquanto a Belov se responsabiliza pelos equipamentos de mergulho e pelas embarcações, que serão utilizados durante as aulas práticas.
Vila-Bôas observa que o mercado de Salvador é carente de mergulhadores profissionais. Segundo ele, quando a Belov Engenharia necessita destes profissionais é preciso buscá-los no Rio de Janeiro ou em outros estados.
Os canteiros de construção e integração de módulos para as plataformas também vão necessitar de mão de obra qualificada, tais como eletricistas, soldadores, encanadores e outros. Para atender à expectativa do empreendimento, a Seinp está fazendo o cadastramento destas necessidades junto às quatro empresas que estarão se instalando em áreas situadas no Porto de Aratu. Em parceria com a Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre) e a Secretaria Estadual da Educação, estão sendo programados diversos cursos a fim de qualificar a população baiana para o trabalho na indústria naval.

Comentários