Enseada se posiciona sobre as demissões

enseada2015.jpg

Em comunicação assinada pela Diretoria de Relações Institucionais e de Sustentabilidade, a Enseada Indústria Naval, um dos mais importantes e modernos empreendimentos em implantação no Brasil, representando um investimento, na Bahia, de R$ 2,7 bilhões, através deste blog vem esclarecer e informar sobre o cenário da indústria naval brasileira, e se posicionar sobre a desmobilização de integrantes da mão de obra civil, ocorrida no último dia 06.

Atualmente com mais de 82% das obras concluídas, o Consórcio Estaleiro Paraguaçu (CEP), um dos principais fornecedores da Enseada, responsável pela construção do estaleiro, encerrou dezembro de 2014 com cerca de 2.200 trabalhadores no canteiro da obra, em Maragojipe. Em paralelo, outros 1.000 integrantes, estes contratados pela Enseada, já atuam em sua operação industrial.

Conforme anunciado em dezembro de 2014, a Enseada orientou que o consórcio construtor efetuasse a readequação do planejamento da obra com o consequente ajuste do seu efetivo. Neste cenário, foi informada a desmobilização de 1.000 funcionários, tendo sido efetuado o desligamento inicial de 470 pessoas em 9 de dezembro de 2014. Hoje, 6 de janeiro de 2015, a empresa informa que o CEP está desligando 500 funcionários da obra de implantação do empreendimento, concluindo a previsão inicial.

Apesar de reconhecer o período de dificuldade enfrentando pela indústria naval brasileira, a empresa segue com sua operação industrial na Bahia para fabricação das seis sondas de perfuração para exploração do pré-sal.

 

Com informações de Marcelo Gentil
Gerente de comunicação externa

Comentários