Centro Tecnológico irá beneficiar pescadores

digasalinas

Duas mil famílias de pescadores e aquicultores da Bahia serão beneficiadas com o funcionamento, a partir de março de 2014, do primeiro Centro Vocacional Tecnológico do Pescado (CVTT) do estado.

De acordo com termo aditivo ao convênio n° 01.0158.00/2007 assinado na última quarta-feira pelo Governo do Estado, por meio da Bahia Pesca, empresa vinculada à Secretaria da Agricultura (Seagri), em conjunto com o Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT), o equipamento será entregue em março de 2014.

Construído na Fazenda Experimental Oruabo, de propriedade da Bahia Pesca, em Santo Amaro da Purificação, o centro será uma importante ferramenta científica e tecnológica na busca do desenvolvimento socioeconômico do segmento produtivo pesqueiro, na sustentabilidade dos recursos sob exploração e no equilíbrio ambiental.


Referência

Por meio das colônias, cooperativas e associações, a partir do funcionamento do centro, os produtores poderão usufruir das tecnologias desenvolvidas em conjunto com biólogos e técnicos em alimentação, dentre outros especialistas.

“Já no primeiro semestre do próximo ano os profissionais da pesca poderão contar com um centro que será referência no uso e desenvolvimento de tecnologias de baixo custo voltadas a pescadores e aquicultores”, afirmou o presidente da Bahia Pesca, Cássio Peixoto. Ele informou que haverá também formação de mão-de-obra regional.

Além do Centro Vocacional, o local contará com incubadora de empresas, restaurante-escola e laboratórios. As atividades a serem desenvolvidas envolvem avaliação de segurança e qualidade dos alimentos produzidos, triagem, identificação, mensuração, pesagem e evisceração dos pescados.

Outra vantagem é o melhor aproveitamento dos subprodutos. As carcaças, por exemplo, viram polpas, enquanto que as espinhas servem como matéria prima para a produção de farinha de ossos. “Os benefícios se estenderão também ao consumidor, que encontrará produtos de melhor qualidade com preços mais baixos”, explica o presidente, ressaltando que os profissionais passarão a fornecer o peixe e também produtos de maior valor agregado.

Fonte: Secom/Ba

Comentários