Cachoeira se prepara para a festa da Boa Morte

digasalinas

A histórica cidade de Cachoeira, Patrimônio da Humanidade, vive a expectativa da Festa da Irmandade da Boa Morte, fundada há mais de 200 anos. O evento, realizado de 13 a 17/8, é uma das mais expressivas manifestações do sincretismo religioso, ao reunir elementos das religiões católica e de matriz africana.  A festa, que tem o apoio da Bahiatursa e Secretaria do Turismo da Bahia (Setur), é divulgada no mundo inteiro pelo governo da Bahia.

Durante os festejos, que têm seu ponto alto nos dias 13, 14 e 15/8, o município se enche de turistas de várias partes do mundo, como norte-americanos, a maioria afrodescendente, espanhóis, franceses e ingleses, entre eles pesquisadores, fotógrafos, jornalistas, curiosos em conhecer a história e a tradição secular de uma das maiores manifestações culturais do Recôncavo Baiano. Chama a atenção e encanta os visitantes a passagem pelas ruas das 22 mulheres que integram a irmandade, com suas belas vestimentas e demonstração de fé e devoção. A Festa da Boa Morte foi considerada Patrimônio Imaterial da Bahia desde 2010.

A programação festiva começa na terça-feira (13/8), quando um cortejo com a imagem de Nossa Senhora da Boa Morte sai, às 18h30, da Capela de Nossa Senhora da Ajuda pelas principais ruas da cidade.  Às 19h é celebrada uma missa pelas almas das irmãs falecidas na Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário. Às 21h é servida, na sede da irmandade, no Largo da Ajuda, a Ceia Branca – confraternização entre as irmãs, familiares e convidados. O cardápio é à base de frutos do mar sem azeite de dendê. Neste dia, as irmãs vestem roupas brancas.

No dia seguinte, quarta-feira (14/8), é realizada missa simbólica de corpo presente, às 19h, na Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário. Às 20h, procissão do enterro de Nossa Senhora da Boa Morte pelas principais ruas de Cachoeira. Nesse dia, as irmãs usam a vestimenta preta, cobrem parte do rosto e não usam joias.

Na quinta-feira (15/8), dia de Nossa Senhora da Glória, uma alvorada com fogos de artifício, às 6h,  anuncia os festejos da Assunção de Nossa Senhora. O clima é de muita alegria. As irmãs vestem a beca preta, com xale vermelho à mostra, usam jóias e contas de orixás. Saem da sede em cortejo até a Igreja Matriz, onde será celebrada missa solene, às 10h.  Depois, seguem em procissão, com o andor todo enfeitado com flores, pelas ruas da cidade. Após a procissão, dançam a valsa na sede da irmandade, local também onde é servido um almoço para os presentes. Depois, é a vez do samba de roda.

As festividades prosseguem sexta-feira (16/8) e sábado (17/8), com samba de roda à noite, a partir das 20h.  Na sexta-feira tem distribuição de cozido. No sábado, caruru, pipoca e mungunzá.

Fonte: Bahiatursa

Comentários