Banda famosa toca em Salinas pela primeira vez

foto

A banda harmonia do Samba vai fazer show durante o X Festival do Marisco de Salinas da Margarida. Pela primeira vez, vamos assistir a um dos grupos de pagode mais famosos do Brasil. E tem mais, com a banda, virá também o nosso amigo Wal Fera, técnico de som do Harmonia e velho amigo da nossa cidade. Filho de Seu Valter e D. Ivone, antigos veranistas, ele está sempre por aqui quando pode e não está viajando com a banda de Xandy.

Um pouca da história do Harmonia

Em 1993, Roque Cezar, que residia na “Capelinha de São Caetano”, bairro humilde de Salvador, quando adolescente, pediu à mãe para que lhe desse instrumentos musicais. Na época ele gostava de samba de raiz como Fundo de Quintal, Almir Guineto etc. E os ensaios aconteciam na varanda da sua casa.

O gosto por música foi aumentando, e novos membros incorporados à banda. O maestro Bimba, no contrabaixo ficou a par dos arranjos das músicas além de parte das composições.

Em 1998, o vocalista Xanddy do grupo Gente da Gente assumiu os vocais da banda. O grupo ao longo do tempo compôs músicas valiosas como “Nova Dança”, “Menina Quebra” (como era conhecida), “Vem Neném”, “Elevador”, “Uva” entre outras. Ao longo do tempo a desenvoltura do grupo agradava aos ouvidos, assim como o repertório polivalente e distinto pela sua vivacidade. A banda mesclava de forma quase incessante músicas de outros grupos de sucesso como “Gera Samba” (o atual “É o Tchan”), “Bom balanço”, “Patrulha do Samba”, além de funks e músicas de sucesso na época não demorando muito para cair na boca da galera. Mas o que mais chamava atenção era a projeção que se poderia fazer a partir da originalidade do vocalista Alexandre conhecido como Xanddy, que se mostrava um excelente dançarino, improvisador e comandante da banda de forma a entreter o público.

harmonia

No meio do show, por exemplo, ele parava na música “Vem Neném” logo na introdução onde colocavam um clima romântico e mandava apagar as luzes do palco. Logo depois começava uma série de gemidos sexuais que se estendiam por um minuto e mais um pouquinho, com a música romântica de fundo. Algo original e que deixava o público feminino delirando e o masculino enraivecido. A performance do vocalista ao rebolar de maneira incomum também chamava bastante atenção que diferentemente dos outros grupos da época em que a maior parte tinha dançarinas (geralmente era uma loira e uma morena), para ensinar ao público às coreografias, o Harmonia do Samba só tinha homens em sua formação e quem dançava e cantava ao mesmo tempo era o Xanddy ensinando as coreografias ao público. Seus bordões também eram atípicos vindo de forma natural e original, nunca antes repetido daquela forma no pagode baiano. No improviso entre palavras e versos, Xanddy gritava “Chora”, “Aaaaaiiiii”, “Fui”, “One, Two, Three” entre outras coisas. E diferentemente, a banda não imitava as outras em suas músicas apesar de se localizar no “pagode baiano”.

Logo no primeiro disco lançado, pela gravadora Abril Music, a ainda arrancou 750 mil cópias vendidas e a banda se tornaria rapidamente um fenômeno nacional. Contava com músicas como “Rebolado”, “Nova Dança”, “Desafio”, Uva, “Meus sentimentos” (um pagode romântico, sucesso irrestrito entre os apaixonados) entre outras músicas de sucesso. Daí em diante, os vocalistas passaram a adotar naturalmente o “estilo de Xanddy” de cantar, lançando sempre que podiam os bordões que lhes conviesse, hoje algo quase “obrigatório” aos cantores de pagode baiano. No segundo CD, ele mandaria o famoso “E demorou para abalar!” antes do refrão da música “Paradinha”, carro-chefe do álbum “O Rodo” foi quando ele “disse ao que veio” ao público. A banda se apresentou no Festival de Verão de Salvador, evento que reúne grandes bandas do momento e artistas mais consagrados, com transmissão da TV “I Bahia” da família do antigo e falecido senador Antônio Carlos Magalhães. O sucesso foi unânime arrancando aplausos do Brasil e elogios de feras como Caetano Veloso por exemplo. Tornando-se assim facilmente uma referência aumentando ainda mais os sucessos da banda. Conhecido também como de “Carla Perez de calça”, principalmente após anunciar namoro com a ex-dançarina do “Tchan” que viria a ser sua futura esposa com quem tem até hoje dois filhos.

Fonte: Wikipedia

Comentários